Nada

Imprimir   Imprimir

Nada
Bia Bedran

Corre o dia o dia a dia
a tristeza e a alegria
o trabalho a poesia e nada
tudo é nada
Todo o ritmo da rua
continua em cada esquina
tudo para e some
pela sua presente auseência
Nada falta tanto quanto você
e eu fico assim, sem nada
Tudo o que meus olhos vêem
tem as cores do deserto
e o desalento de um andar
que nunca chega em nada
Onde vai dar esse rio
que escorre triste procurando um mar que adiante não existe
lá, não há nada
Nada falta tanto, quanto você
e eu fico assim,
sem nada.

Logo m3 Agência Digital