Show de Lançamento do CD Bloco da Palhoça

Show de Lançamento do CD Bloco da Palhoça – O Reencontro

Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias Nº 09 – Icaraí – Niterói – RJ.
Tel. 21 3674-7515

Dias 08, 09 e 10 de Julho as 20:00 horas

Ingresso: Inteira R$ 40,00 e Mei a R$ 20,00

Bia Bedran e o Bloco da Palhoça
Lançamento do show musical e do cd: “Bloco da Palhoça – O reencontro”

Nos idos anos 1970 Bia Bedran então com 19 anos, estudante de musicoterapia, cantora, atriz e compositora das trilhas sonoras do Quintal Teatro Infantil, encontrou-se com dois jovens músicos cariocas que tinham afinidade com seu desejo de pesquisar o folclore brasileiro e as manifestações de cultura popular. Eram eles Victor Larica e Ricardo Medeiros que tocavam viola caipira, violões de aço e nylon, contrabaixo, baixolão, além de cantarem muito bem.
Viajaram para a festa do Divino que acontecia em São Luis do Paraitinga em São Paulo e a partir daquela roda de viola em torno da fogueira regada à muita cantoria nasceu o Bloco da Palhoça, em junho de 1977.
O Bloco da Palhoça agregou vários músicos em suas andanças pelo Brasil, entre eles Guilherme Bedran, na rabeca, bandolim e vocais e Paulão Menezes na percussão. Com esta formação, o grupo se apresentava nos mais variados espaços que iam desde praças , escolas e teatros até estações de trem de cidades do interior do Estado do Rio, São Paulo e Minas Gerais. A platéia composta de adultos misturados às crianças enriqueceu o trabalho musical do grupo e ampliou seu alcance cultural, agregando ao Bloco da Palhoça o espírito de trupe teatral ou de “menestrel mambembe”, como quiser chamar.
Em seu repertório, o Bloco da Palhoça misturava composições próprias com pesquisa acerca do folclore brasileiro. Utilizando brincadeiras rítmicas e poéticas muito presentes na cultura popular, o Bloco promovia em suas apresentações uma grande interação com a platéia, tornando-se esta uma das características principais do grupo.
Em 1980, o grupo lançou o LP “Bloco da Palhoça – Música para Brincar e Cantar”, pela gravadora Continental e convidou Ana Maria Machado e Benjamim Santos para escreverem o roteiro do espetáculo homônimo, que cumpriu temporada de 6 meses de sucesso no Teatro João Caetano , no Rio de Janeiro.
Em 1982, o grupo estreou o espetáculo “Bloco da Palhoça em Cantos de Trabalho”, dirigido por Maria de Lourdes Martini, no Teatro Villa-Lobos em Copacabana, RJ, e por este trabalho o Bloco recebeu o Prêmio Mambembe de Teatro Infantil, categoria Melhor Trilha Sonora.
O Bloco da Palhoça continuou sua trajetória de apresentações para diferentes platéias e espaços, incluindo festas de aniversário de crianças, escolas, praças e teatros no Brasil, além de fazer uma turnê de três meses em Paris, integrando a Troupe Caíque, dirigida por Caíque Botkay.
Todas essas experiências possibilitaram ao Bloco da Palhoça a capacidade de se comunicar com muita naturalidade e alegria em todo e qualquer lugar.
Quando o tempo do grupo findou, Bia Bedran continuou com seu trabalho solo dirigido às crianças e também aos adultos até os dias de hoje, trazendo em sua música autoral toda aquela experiência adquirida ao lado de seus companheiros e fundadores do Bloco da Palhoça.
Este cd com lançamento simultâneo do show “Bloco da Palhoça”, festeja o reencontro de velhos parceiros quase quarenta anos depois daquela roda de viola onde tudo começou, em volta da fogueira.
São 11 músicas autorais de Bia Bedran e algumas em parceria com Ricardo Medeiros, Victor Larica e Benjamim Santos.
Os arranjos vocais reforçam o jeito muito próprio do Bloco cantar, sempre abrindo muitas vozes e também enfatizando os solos de cada um.
No instrumental, a presença marcante da rabeca, bandolim baixolão, contrabaixo, violões de aço e nylon, percussões de efeito e rítmica e o som exótico do marimbau, instrumento de uma corda só fabricado por Victor Larica.
Deixaremos ao público a tarefa de classificar a quem este trabalho musical se destina: adultos, crianças?
Seria adequado simplesmente dizer que este cd e este show são o novo trabalho musical que Bia Bedran traz para seu público, onde as crianças serão, como sempre, muito bem –vindas, e que certamente apreciarão a beleza do reencontro de velhos parceiros que têm muita história para cantar e contar.

“Acorda menino, acorda menino
E vai pra escola! Tem lápis e borracha, olha aí, na tua sacola.
A professora explicou no outro dia
Que a escola tem histórias de ouvir e de contar
É o encontro do saber e da alegria,
E pra ter sabedoria ninguém deve se atrasar.”
( Bia Bedran)

Bloco da Palhoça
Bia Bedran: músicas, violões e voz
Ricardo Medeiros: contra-baixo, violões aço e nylon, baixolão e voz
Victor Larica: marimbau, baixo, percussão de efeitos, violão e voz
Guilherme Bedran: rabeca, violino, bandolim e voz
Paulão Menezes: percussão
Part. especiais: Marcos Tadeu: berimbau, cuíca e afoxé
Julieta Bedran: Vocais
Direção musical e arranjos: Ricardo Medeiros
Direção cênica e criação de luz: Djalma Amaral
Fotos: Paulo Rodrigues
Direção de arte: Martini Design

Músicas:

Alumiou – Bia Bedran e Benjamim Santos
Lau lau – Bia Bedran
Balança bananal – Bia Bedran e Victor Larica
Outono – Bia Bedran
Acorda menino – Bia Bedran
Loa antiga – Victor Larica, Bia Bedran e Benjamim Santos
Flor de maracujá – Bia Bedran
Menino me conta – Bia Bedran
Pregão do fruteiro – Bia Bedran
Apresentando a percussão – Ricardo Medeiros, Victor Larica e Bia Bedran
Acalanto de planta – Bia Bedran e Benjamim Santos

Logo m3 Agência Digital